Prepare-se para o grande dia
Desde quando descobre a gestação, a futura mamãe se preocupa com o dia do parto. Medo e dúvidas se misturam neste momento. Por isso, é cada vez maior o número de casais que procuram por cursos de preparação para o parto, em que podem trocar ideias sobre o período da gravidez, preparar-se para um parto consciente e sem temor, e para um início de maternidade mais tranquilo. Claro, sempre seguindo as orientações do médico que a acompanhou durante a gestação. A orientação é da ginecologista e obstetra Dra. Rachel Vinhaes. “A gestante tem de se sentir preparada emocionalmente para a hora do parto, fazendo também um trabalho corporal, principalmente de respiração e de relaxamento”, orienta a médica. Agora, tire algumas dúvidas com a Dra. Rachel: 

Publicidade

Como posso perceber que a hora do parto está chegando?

Nas últimas semanas de gravidez são comuns desconfortos; cólicas; contrações um pouco mais intensas e eventualmente dolorosas; perda de muco vaginal em maior volume (tampão mucoso), etc. Estes sintomas nos dizem que o parto está se aproximando, mas essa fase pode variar muito de duração. Quando o trabalho de parto inicia de verdade, o sintoma mais comum é a contração uterina ritmada, intensa e duradoura. É necessário aguardar para termos certeza de que não é um alarme falso e, em geral, podemos dizer que estamos em trabalho de parto franco, quando apresentamos uma contração dolorosa a cada cinco minutos ou menos, com duração superior a 30/40 segundos e que persiste por mais de 30/60 minutos. Mas, eventualmente, o primeiro sintoma pode ser a ruptura espontânea da bolsa amniótica, que, em geral, é seguida pelo início das contrações.

 

A mamãe vai sentir dor?

O relato de dor é muito variável, de acordo com o limiar de cada mulher e com o preparo emocional para este momento tão esperado e especial. Podemos dizer que, em geral, as dores estão presentes (porém são suportáveis) e temos formas diversas de amenizá-las, como massagens, banhos de chuveiro ou imersão em água morna, uso da bola de pilates para massagear a pelve, até a analgesia de parto, numa fase mais avançada do trabalho de parto.

 

Quantos centímetros de dilatação são necessários para o parto normal? E o que a mamãe pode fazer para ajudar na dilatação?

São necessários dez centímetros de dilatação para que o bebê desça no canal do parto e nasça. Mantenha-se ativa, “ouvindo” seu corpo e respirando tranquilamente. Isso ajuda na evolução da dilatação. Este é o segredo do sucesso do trabalho de parto, com um parto prazeroso e um bebê que nasce chorando e bem-oxigenado.

 

O que é indução do trabalho de parto?

Induzir o parto significa iniciar “artificialmente” o trabalho de parto. Isso pode ser feito com o uso de medicações (ocitocina, misoprostol) ou até com acupuntura, mas é importante ressaltar que, só devemos partir pra isso, caso tenhamos uma indicação obstétrica. Respeitar a natureza e o tempo é muito importante quando almejamos um parto mais natural e curtido.

 

A mulher deve raspar os pelos pubianos em todos os tipos de parto?

Não é necessária a raspagem dos pelos para o parto. Pode-se apenas fazer uma depilação parcial ou redução do comprimento dos pelos. Isso deve ser decidido pela paciente, visando facilitar seu conforto durante o trabalho de parto e sua higiene pós-parto. É importante ressaltar que após o parto a mulher apresenta um sangramento transvaginal (loquiação), que pode durar de 20 a 40 dias.

 

Quais são os tipos de anestesia existentes?

As utilizadas em obstetrícia são a raque e a peridural. Ambas são feitas na coluna e ressalto que não deixam sequelas. O que muda é o espaço no qual é depositado o anestésico e a escolha é orientada pela fase do trabalho de parto na qual se encontra a paciente. Deve ser considerada como um auxílio disponível, caso necessário.

 

É bom que o pai assista o parto?

Acho quase imprescindível a presença do pai no momento do parto! O bebê é um projeto dos dois e o apoio e a presença do pai tornam a mamãe muito mais confiante. Este casal tende a se unir mais e, para o bebê que chega, serão os primeiros momentos de uma vida mais feliz e segura com a presença dos dois.

E se eu não conseguir ter o parto que planejei?

Temos de ter em mente que o parto é um momento muito importante na vida de uma mulher, de um casal, mas o essencial é termos mãe e bebê 100% bem no final. É necessário um preparo físico e emocional, além da escolha de um profissional que trabalhe na linha do parto almejado, porém uma intervenção pode ser necessária (uma cesárea ou até uma indução de trabalho de parto, por exemplo). A paciente que se preparou e confia no seu obstetra, pode até ficar triste caso o parto não ocorra conforme o planejado, porém ela saberá que foi feito tudo que era possível para o bem-estar dos dois! Será muito mais fácil lidar com essas emoções.