Parto normal sem mistérios
O parto é um dos momentos mais esperados pela mamãe. Com ele vem a grande expectativa de ver o rostinho do bebê e, por outro lado, vem também uma série de questionamentos. “Fisiologicamente, realizar o parto normal é a maneira mais adequada e natural de fazer uma criança nascer. Ele proporciona inúmeros benefícios para a mamãe e para o bebê. Porém, é muito importante que a gestante realize um pré-natal com profissionais capacitados e que respeitem os seus anseios e desejos”, explica a ginecologista e obstetra Dra. Camila Prestes. Tire suas dúvidas sobre o parto normal com a profissional:

Publicidade

Parto normal dói muito?

A intensidade da dor dependerá de cada paciente. Na maioria das vezes, as gestantes relatam fortes dores, principalmente momentos antes dos bebês nascerem. Hoje, dispomos de medidas que podem e devem ser tomadas para amenizar a dor e tranquilizar a gestante durante o trabalho de parto como: anestesia epidural; respiração lenta e profunda durante as contrações; banhos de banheira ou chuveiro e exercícios na bola; poder movimentar-se e receber massagens durante as contrações; ter a presença de um familiar ou amigo durante o trabalho de parto; e equipe médica de confiança.

Qualquer mulher pode ter parto normal?

A princípio, sim. Durante o pré-natal e trabalho de parto, o obstetra avaliará possíveis alterações ou intercorrências, contraindicando o parto normal em alguns casos ou patologias específicas.

Se o cordão umbilical estiver enrolado no pescoço do bebê, a mãe não poderá ter parto normal?

A circular de cordão encontra-se presente em média 30% das gestações e não contraindica o parto normal. Durante todo o trabalho de parto, o obstetra deve ficar atento aos batimentos cardíacos do bebê, caso haja sinais de sofrimento fetal, as medidas cabíveis serão tomadas.

A gestante pode não ter dilatação durante o parto?

Sim, em alguns casos isolados podem acontecer contrações efetivas, sem dilatação adequada. Durante o trabalho de parto realizamos avaliações para verificar a presença ou não de dilatação e definirmos a melhor conduta. Para nosso auxílio, utilizamos o partograma, documento registrado em prontuário, onde anotamos o desenvolvimento do trabalho de parto. Ele garante ao médico e à gestante que a escolha do modelo de parto seja a mais segura para a saúde da mãe e do bebê.

O parto normal alarga o canal vaginal?

Na maioria das vezes, o parto normal bem-assistido não provoca sequelas na região vaginal, pois se houver alguma lesão, os obstetras recompõem depois o períneo (região entre a vagina e o ânus). O que existe durante a gestação é um afrouxamento da musculatura abdominal e perineal, independente de ser parto normal ou cesárea. Para melhorar a qualidade muscular, recomendamos a ingestão de proteínas e atividades físicas específicas, com profissionais experientes, antes, durante e depois da gestação, com a finalidade de melhorar e reabilitar a musculatura abdominal e perineal.

Quando a bolsa rompe, a gestante deve ir imediatamente para a maternidade?

Assim que bolsa romper, a gestante deverá entrar em contato com o seu obstetra e relatar o que está acontecendo, como contrações ou sangramentos, e ir para a maternidade receber o primeiro atendimento.

A presença do pai ajuda a gestante a relaxar na hora do parto?

Com certeza, a presença do pai ou um acompanhante da gestante faz toda a diferença, deixando-a mais segura, amparada e tranquila. A equipe escolhida deve fazer com que ela e as pessoas que lhe dão apoio sintam-se bem-vindas, confortáveis e informadas durante todo o parto e no nascimento.

O retorno às atividades diárias é mais rápido em mulheres submetidas ao parto normal?

Sem dúvida, o parto normal proporciona isso à mamãe, estar melhor fisicamente para cuidar do bebê, retorno mais rápido às suas atividades, tanto em casa quanto atividades físicas e sexuais. Quando não há necessidade de realizar a episiotomia, a recuperação é ainda melhor.

Vantagens do parto normal:

Para a mãe

  • Recuperação mais rápida;
  • Menor risco de infecções;
  • Útero volta ao tamanho normal mais rapidamente;
  • Menor perda de sangue;
  • Menor risco de lesões em órgãos como bexiga, uretra e intestino;
  • Menor risco de trombose e hematomas;
  • Favorece a produção de leite materno;
  • Estreita os laços sentimentais com o bebê.

Para o bebê

  • Diminuição do desconforto respiratório, pois ao passar pelo canal vaginal, seu tórax é comprimido e isso faz com que os líquidos de dentro do pulmão sejam expelidos com mais facilidade;
  • O bebê também se beneficia das alterações hormonais que ocorrem no corpo da mãe durante o trabalho de parto, fazendo com que ele seja mais ativo e responsivo ao nascer;
  • Durante a passagem pelo canal vaginal, o corpo do bebê é massageado, fazendo com que ele desperte para o toque e não estranhe tanto ao ser manipulado ao nascer;
  • Ao nascer, pode ser imediatamente colocado em cima da mãe, o que acalma mãe e filho.