Para que serve uma ecografia na gestação?
O momento em que ainda na gravidez se identifica o rostinho do bebê na tela de um computador é realmente mágico, e os pais ficam maravilhados com seus movimentos, um abrir e fechar de olhos, um dedinho na boca... Entretanto, aponta a radiologista Dra. Núbia Pereira Pinto de Queiroga, a ultrassonografia (ou ecografia) tem como principal objetivo a saúde do bebê, por meio da avaliação do seu crescimento e desenvolvimento, estudo dos órgãos, líquido amniótico e placenta.

Publicidade

Ela explica que geralmente, durante a gravidez, são realizadas no mínimo quatro ultrassonografias. A primeira é normalmente realizada por via transvaginal e permite a visualização do embrião e identificação dos batimentos cardíacos a partir de 6 semanas, além de permitir observar se a gestação é única ou gemelar, avaliar a implantação do saco gestacional e medir o colo uterino. “Esta é a melhor ecografia para se datar a idade da gravidez”, acrescenta.

Depois, a ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre é indicada entre 11 semanas e 13 semanas e 6 dias de gestação. Aqui são avaliados os marcadores de anomalias cromossômicas, sendo o mais conhecido a translucência nucal, uma prega na nuca do bebê que contém líquido, e quando espessada pode predizer a chance de um feto apresentar síndrome de Down. Além disso, as cardiopatias congênitas graves também se associam a um espessamento da prega nucal, explica a radiologista. Geralmente, o sexo do bebê pode ser identificado a partir de 14 a 15 semanas de idade gestacional, dependendo do seu posicionamento.

Já a ultrassonografia morfológica do segundo trimestre deve ser realizada entre 20 e 24 semanas de gravidez, e tem como objetivo a avaliação detalhada do feto, para detecção de possíveis más-formações esqueléticas, do sistema nervoso central, digestivas, urinárias, entre outras. A Dra. Núbia informa também que são estudados a placenta, o líquido amniótico e o cordão umbilical. Mais para o final da gestação, a grávida pode aproveitar para realizar a ecografia 4D, que permite a obtenção de imagens tridimensionais do bebê, e, em alguns casos, melhor estudo da anatomia fetal. A qualidade das imagens vai depender do posicionamento fetal, da quantidade de líquido amniótico e da obesidade materna.

Outro exame bastante importante é a ecocardiografia fetal, indicada para todas as gestantes pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Esse exame é realizado preferencialmente entre 24 e 28 semanas de gestação e traz grandes benefícios no diagnóstico precoce nos casos de doenças cardíacas fetais. “Todos esses são exames de extrema importância para uma gestação saudável. O número e os tipos de exames a serem realizados devem ser orientados pelo seu obstetra”, alerta.