Guia rápido de exames para grávidas
Em uma gravidez de baixo risco, isto é, nas gestantes consideradas saudáveis, durante o pré-natal a gestante deve realizar alguns exames principais, conforme explica a radiologista Dra. Núbia Pereira Pinto de Queiroga. Confira:

Publicidade

1º TRIMESTRE

Grupo sanguíneo e fator Rh: são exames importantes quando a mãe tem Rh negativo e o pai Rh positivo.

Hemograma completo: para se detectar anemia ou infecções.

Glicemia de jejum: verifica a presença de diabetes ou tendência à diabetes.

EAS e Urocultura: exames de urina, que podem verificar a presença de infecção urinária.

Colpocitologia: para o diagnóstico de infecções ginecológicas e câncer de colo uterino.

Sorologia: para rubéola, toxoplasmose, hepatites B e C, citomegalovirus e HIV.

Exame parasitológico: fezes.

Dosagem de hormônios: tireoide.

Pesquisa de variantes de hemoglobinas: para o diagnóstico de doenças como anemia falciforme.

Ultrassonografia morfológica do 1º trimestre: utilizada para datar a gestação e para detectar alterações que sugiram anomalias cromossômicas.

Ultrassonografia morfológica do 1º trimestre com dopplerfluxometria das artérias uterinas: identifica alterações que indicam risco de desenvolvimento de pré-eclâmpsia.

2º TRIMESTRE

Glicemia de jejum e teste oral de tolerância à glicose: para detecção de diabetes gestacional.

Repetir pesquisa de sífilis, toxoplasmose e HIV.

Hemograma completo.

Exame de urina (EAS).

Ultrassonografia morfológica do 2º trimestre: avalia detalhadamente as estruturas fetais para o diagnóstico de más-formações.

Ecocardiografia fetal: realizada para afastar a possibilidade de más-formações no coração do bebê.

3º TRIMESTRE

Repetir sorologias para toxoplasmose, rubéola, sífilis e hepatite B.

Exame de urina e urocultura.

Pesquisa de estreptococos do grupo B na secreção vaginal: essa bactéria pode ser transmitida para o feto com a ruptura da bolsa amniótica, ou no parto, e pode causar infecções no bebê se não for tratada.

Ultrassonografia obstétrica: para avaliação do crescimento fetal adequado, da posição do feto, líquido amniótico e placenta.

Ultrassonografia com estudo dopplerfluxométrico: visa avaliar a circulação materna e fetal, podendo detectar sofrimento fetal agudo e crônico.