Mitos e verdades da gestação
Muito se fala sobre o turbilhão de emoções e de mudanças pelo qual a mulher passa durante a gravidez, gerando diversas interpretações e mitos sobre alguns assuntos. Quem nunca ouviu dizer que azia é sinal de que o bebê terá muito cabelo? Ou que se a barriga é redonda, o bebê é uma menina e se é pontuda, um menino? Muitos, como esses citados, são facilmente desfeitos, mas outros, de fato, geram dúvidas, principalmente quanto ao bom andamento da gestação e à saúde de mamãe e bebê. Convidamos o ginecologista e obstetra Dr. Guaraci Beleza para responder: é mito ou verdade?

Publicidade

Se a mulher teve o primeiro filho por cesariana só poderá ter os outros da mesma forma. Mito ou verdade?

Mito. Se a mulher teve o primeiro filho por cesariana, não obrigatoriamente os outros partos serão cesarianas. Depende de qual tenha sido a indicação do primeiro. Exemplo: se ocorreu porque o feto estava sentado, o segundo filho pode nascer por via vaginal. Mas se deve aumentar a assistência ao parto para que ele ocorra em condições de menos riscos para a paciente.

Inchaço em grávidas é sinal de pressão alta. Mito ou verdade?

Mito. Inchaço não significa pressão alta. O próprio clima e os alimentos ingeridos podem causar retenção de líquido. Mas é importante ficar atento a essas pacientes com inchaço, porque posteriormente elas podem apresentar hipertensão.

Grávidas não devem tomar banhos muito quentes. Mito ou verdade?

Meio mito. As grávidas podem tomar banhos quentes, desde que não fiquem muito tempo na água, para que a pressão arterial não caia muito e leve a paciente a ter sensação de desmaios ou enjoos.

Ficar em jejum diminui o enjoo. Mito ou verdade?

Mito. Grávidas não devem ficar em jejum, porque isso aumenta o enjoo e diminui a absorção de nutrientes pelo feto.

Grávidas não podem tomar remédio. Mito ou verdade?

Meio mito. Grávidas devem tomar apenas remédios prescritos pelo médico.

Deve-se evitar contato com animais de estimação durante a gravidez. Mito ou verdade?

Meio mito. O contato com alguns animais de estimação deve ser evitado durante a gravidez. Por exemplo: grávidas suscetíveis a toxoplasmose devem evitar contato com o gato.

Grávidas precisam dormir somente do lado esquerdo. Mito ou verdade?

Meio mito. Grávidas devem dormir do lado esquerdo apenas quando sentem desconforto dormindo do lado direito ou com a barriga pra cima. Algumas pacientes quando deitam com a barriga pra cima ou do lado direito comprimem a veia cava inferior, levando ao desconforto respiratório, o que é aliviado quando dormem do lado esquerdo.

Grávidas não podem comer frutos do mar nem comida japonesa. Mito ou verdade?

Meio mito. Grávidas podem comer frutos do mar e comida japonesa, desde que essas alimentações sejam feitas em locais de extrema confiança.

Os seios ficam flácidos após a amamentação. Mito ou verdade?

Meio mito. Nem todas as pacientes apresentam flacidez mamaria após a amamentação.

Mulheres ficam mais sensíveis durante a gravidez. Mito ou verdade?

Verdade. Devido às alterações hormonais, as mulheres ficam mais sensíveis durante a gravidez, fato que deve ser compreendido pelo marido e pelos familiares.

Grávidas sentem mais calor. Mito ou verdade?

Verdade. As grávidas sentem mais calor devido aos hormônios gravídicos, que causam a dilatação dos vasos sanguíneos.

 

Mal-estar ou complicação?

Outras dúvidas comuns da gestante em relação à sua saúde e à do feto são quanto aos sintomas típicos da gestação. Veja com o que se preocupar:

Corrimento: ter uma secreção vaginal incolor aumentada na gravidez é normal. Porém, corrimentos brancos, amarelados, esverdeados ou acinzentados devem ser investigados.

Dor abdominal: dores podem ser comuns nessa fase, mas devem ser avaliadas pelo médico quando são persistentes e vão aumentando.

Sangramentos: sangramento nenhum é normal durante a gestação. Todos devem ser investigados pelo obstetra.

Febre: toda febre deve ser investigada, já que mostra que algo não está bem no organismo.

Perturbações na visão: na gestação, pelo edema causado no nervo óptico, pode ocorrer alteração na visão da gestante. Porém, é um processo passageiro.