Cuidados ginecológicos que toda mulher deve ter no pós-parto
Boa parte das mães não faz o devido acompanhamento médico no período que sucede o parto. E o principal motivo, alegam elas, é a dedicação integral ao recém-nascido. E como estão se sentindo bem acreditam que não precisam ir ao ginecologista. Mas aí está um grande problema. Essa é uma fase que precisa de um acompanhamento tão sistemático quanto na gestação.

Publicidade

Segundo a ginecologista e ultrassonografista Dra. Clarissa Marini Pinto Japiassu, já no primeiro mês pós-parto a paciente deve ir ao médico para avaliação de dúvidas, sintomas e da cicatriz cirúrgica (se houver), e receber orientações sobre a amamentação, o resguardo e a contracepção. “No pós-parto, a mulher geralmente apresenta também outras dúvidas e queixas que devem ser avaliadas pelo seu ginecologista”, reitera.

A partir daí, após 6 meses é importante fazer a consulta ginecológica de rotina, com exames laboratoriais, papanicolau ou preventivo (colpocitologia oncótica) e ultrassonografia. Assim, depois que o bebê vem ao mundo, os cuidados de saúde com a mãe serão recomendados pelo médico de acordo com o que julgar necessário. “Após a realização dos exames rotineiros, se não houver intercorrências, as consultas podem ser anuais novamente como antes da gravidez”, informa a Dra. Clarissa.

Orientações pós-parto

Métodos contraceptivos: nos primeiros seis meses pós-parto recomendam-se métodos contraceptivos com progestágenos (pílulas, implantes, injetáveis, DIU de levonorgestrel) ou DIU de cobre ou ainda o preservativo.

Relações sexuais: geralmente, recomenda-se esperar até 40 dias para retomar a vida sexual, a não ser que tenha ocorrido alguma complicação, como infecções, hemorragia, lesão do períneo, entre outras. Converse com seu médico sobre o assunto.

Retorno da menstruação: isso varia de mulher para mulher, e depende de algumas variáveis, como a utilização ou não de métodos hormonais e se ela amamenta exclusivamente ou não. Mas, em geral, a menstruação pode retornar de seis meses a um ano após o parto.

Nova gravidez: caso a mulher deseje ter um filho em seguida do outro, é recomendado que ela espere pelo menos um ano - de preferência dois - para engravidar novamente para que seu organismo e órgãos pélvicos retornem ao status inicial de antes da gravidez. “Inclusive do ponto de vista emocional e psicológico”, destaca a Dra. Clarissa.

 

Confira também:

https://www.youtube.com/watch?v=t4uKEUBceuY&t=87s
Esse conteúdo foi feito em parceria com

Dra. Clarissa Marini Japiassu


Conheça mais dele