Confira os problemas que merecem atenção na gestação
“Gravidez não é doença.” Que mamãe nunca ouviu esta frase? E é a mais pura verdade. A gravidez é um processo natural na vida da mulher e as alterações no organismo materno não representam doença. Entretanto, as mamães devem ficar alerta, pois podem ocorrer alguns problemas durante a gravidez. Saiba quais deles merecem atenção especial nesta entrevista com o ginecologista e obstetra Dr. Júlio Porto.

Publicidade

 

Sangramento na gravidez

Pode ocorrer um pequeno sangramento logo no primeiro mês de gravidez, limitado a um ou dois dias, que corresponde ao momento da implantação do bebê no útero. Neste período, outros sangramentos podem ser considerados sinais de alerta: infecções do colo do útero ou da vagina, sangramento após relação sexual, abortamento. “A identificação de cada um deles deverá ser feita por um médico experiente”, aconselha. Na segunda metade da gravidez, o sangramento pode se devido à localização baixa da placenta ou ao seu deslocamento, condições que impõem grande risco para o bebê, pois pode diminuir a oxigenação para ele. Já no final da gestação, a perda do tampão mucoso pode vir acompanhada de rajas de sangue, mas não representa nenhum problema. Só indica que a hora do parto se aproxima.

 

Perdas Vaginais

Você poderá notar durante a gravidez a vagina mais úmida e lubrificada. Geralmente, é uma secreção clara e transparente e que não deve gerar preocupação. Mas fique atenta para qualquer alteração, como cor (amarelada ou esverdeada), odor desagradável, coceira ou queimação. Neste caso, não hesite em procurar seu obstetra. Preste atenção também na perda do líquido amniótico, que é mais fluído que as secreções normais. Se isso ocorrer nas primeiras semanas de gestação, é indicativo de princípio de abortamento.

 

Dores de cabeça

No primeiro trimestre, elas podem ser frequentes. Isso se dá pelo aumento da progesterona. Quando intensas e/ou acompanhadas de tonturas e visão embaralhada, devem ser informadas imediatamente ao seu obstetra, pois podem ser sinal de pressão elevada (pré-eclampsia), principalmente no final da gestação.

 

Infecções urinárias

A infecção urinária durante a gravidez é comum e fácil de ser tratada, desde que isso seja feito a tempo. Se for feito tardiamente, pode provocar parto prematuro, infecção dos rins, ameaça de aborto, etc. Deve-se suspeitar de uma infecção urinária quando existe dor e ardor ao urinar, sensação de desejo de urinar, mas impossibilidade de fazê-lo, desejos frequentes de urinar com micção escassa e mudanças no cheiro e na cor da urina. Para prevenir as infecções urinárias é preciso tomar muito líquido, esvaziar a bexiga com freqüência e fazer higiene em seguida com água e sabão, sempre que possível.

 

Redução de movimentação do bebê

A partir do quarto mês de gestação, a mãe já começa a perceber os movimentos do bebê. Quanto mais ele cresce, mais perceptível fica sua movimentação. Mas lembre-se que o bebê também dorme. Por isso, não estranhe se ele não mexer por um tempo, porém, se esse período ultrapassar 24 horas, consulte seu médico.

 

Ganho excessivo de peso

O ganho de peso exagerado na gravidez também é um sinal de alerta, pois pode vir acompanhado de diabetes e hipertensão. Pode, ainda, ocasionar estrias e varizes. Nesses casos, a grávida deve realizar reeducação alimentar e não regime, além de realizar exercícios físicos orientados por um educador físico.

 

Diabetes gestacional

Este tipo de diabetes ocorre apenas no período gestacional e regride após o parto. A gestante com diabetes deve estar atenta, pois seu parto pode ser prematuro, com nascimento de bebês grandes e pesados, que exigem atenção especial do pediatra. O tratamento consiste, basicamente, em controle da dieta e da prática de exercícios físicos.

 

Inchaços

Durante a gravidez, muitas mulheres ficam inchadas, principalmente nos pés. Preste atenção caso apareçam edemas nas mãos e face. Pode ser indício de pressão alta (pré-eclâmpsia) e só um médico pode avaliar isso.

 

Contrações

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as contrações são normais e acontecem durante toda a gestação, apesar de nem sempre serem perceptíveis. Seus intervalos são irregulares e elas são indolores. Se acontecerem de 10 em 10 minutos e de maneira rítmica, procure seu médico.