Como aliviar a dor na coluna com a ajuda da quiropraxia?

Publicidade

Dores ou outros desconfortos na coluna são queixas de aproximadamente um terço da população brasileira. Na gestação, o percentual ultrapassa os 50%. Muitas vezes crônicos, esses incômodos podem ser aliviados com sessões periódicas de Quiropraxia, profissão que se dedica a encontrar e corrigir a falta de mobilidade em determinadas regiões da coluna vertebral que esteja interferindo na comunicação entre o cérebro e as demais partes do corpo, provocando dores.

A quiropraxista Dra. Hanna Kratz afirma que o atendimento divide-se em três partes: entrevista, exame clínico e os procedimentos. Na entrevista, o paciente é avaliado pelo quiropraxista por meio de algumas perguntas, para identificar a origem do problema. No exame clínico, é feita uma análise postural e um completo exame físico para a definição de um diagnóstico. A partir disso é elaborado um plano de tratamento para a realização dos procedimentos, que, na maioria das vezes, inclui a manipulação articular, também chamada de ajuste quiroprático.

“Além de reduzir as dores, o tratamento contribui para a melhora da mobilidade, diminuição da rigidez e espasmos musculares e dá a sensação de bem-estar e de relaxamento. No caso das gestantes tem efeito também na preparação do corpo para a hora do parto – que muitas vezes é demorado e exige um grande esforço físico. A coluna precisa estar alinhada e preparada para o momento do parto, evitando estresse sobre as articulações da mãe e do bebê”, orienta.

A especialista explica que normalmente o ajuste é acompanhado por um estalido. Segundo ela, o que não significa que algo está machucando ou quebrando, trata-se de uma diferença de pressão, é como quando se abre uma garrafa de champagne. Mas quando são utilizados instrumentos específicos ou a própria maca para que o ajuste seja realizado, ao invés das mãos do quiropraxista, não se escuta o estalido. “O objetivo principal de mobilizar as articulações, relaxar os músculos e, consequentemente, diminuir a dor são sempre visados, e, juntos, o especialista e o paciente poderão discutir qual tipo de técnica mais agrada e é mais eficaz para cada caso”, avalia.

O atendimento quiroprático é indicado para toda a família, desde bebês, idosos até gestantes e atletas, sem limite mínimo ou máximo de idade. “O quiropraxista irá avaliar todos os pacientes da mesma forma, procurando determinar se há falta de mobilidade vertebral que possa estar prejudicando o funcionamento do corpo e, assim, por meio do ajuste quiroprático corrigi-las. Às gestantes que já possuem frouxidão ligamentar prévia, que tenham qualquer tipo de complicação durante a gestação ou que já possuam qualquer outra contraindicação anterior à gravidez, como histórico de AVE, osteoporose grave, entre outros, não devem se submeter ao tratamento quiroprático.”