Benefícios da musicoterapia na gestação
Dizem que a música faz muito bem para o corpo e a mente. E por que não usufruir de todos os benefícios da música no momento mais especial da vida de uma mulher que é a gestação? Uma pesquisa realizada pelo Instituto Marqués e publicada pela revista Ultrasound, do British Medical Ultrasound Society comprovou pela primeira vez que o bebê ainda no útero é capaz de detectar sons. Segundo o vídeo publicado pelos pesquisadores, o bebê respondeu ao som movendo a boca e a língua como se eles estivessem tentando falar ou cantar.

Publicidade

A pesquisa foi feita com mulheres entre 14 e 39 semanas de gestação e foram utilizados exames de ultrassom para observar a reação do bebê. Aproximadamente 87% dos fetos reagiram fazendo movimentos com a cabeça e a língua. Segundo a Ginecologista e Obstetra Dra. Erica Mantelli, além do cuidado físico na gravidez a gestante também tem que se preocupar com a saúde emocional do bebê. “Desde o momento da concepção o feto já desenvolve células de memória e começa sentir as emoções da mãe, por isso, é importante que haja uma interação com a criança ainda no útero”, explica.

A partir de cinco semanas o bebê já sente alguns estímulos por causa das células de memória. Ele pode não ouvir, mas sente as vibrações do som. “Durante as primeiras semanas de gestação é importante que a mãe mantenha hábitos saudáveis para garantir uma formação saudável do bebê. Nesse período, tudo que a mãe fizer pode influenciar diretamente o bebê”, afirma a ginecologista.

 

Música para acalmar

Para driblar o estresse, ansiedade, angústias, tristezas durante a gravidez e evitar que essas emoções sejam refletidas nos bebês, a gestante pode tomar algumas medidas. “As grávidas devem investir no pré-natal com musicoterapia para acalmar o bebê ainda no útero. A dica é pelo menos uma vez ao dia ouvir uma música que o casal goste, que faça a gestante sentir-se bem para transmitir emoções boas ao bebê”, recomenda a Dra.Erica.

A gestante deve ouvir a música sentada ou deitada com um acompanhante e aproveitar esse momento para fazer uma massagem no abdômen enquanto conversa com o bebê ao som da melodia. “Aos poucos a gestante vai relaxando, os níveis de estresse vão diminuindo e ela para de transmitir sensações ruins ao bebê e automaticamente o bebê grava a vibração do som. A partir de 18 semanas, o bebê já consegue identificar a música”, ressalta a ginecologista.

A gestante pode cantar para o bebê?

As gestantes podem sim cantar para o bebê porque o canto com a voz da mãe também é uma forma de acalmar o bebê. Sem contar que esse momento faz crescer ainda mais o elo entre a mãe e filho. “A gestante pode cantar diversas músicas, conversar, assim ele irá reconhecer a voz da mãe”, diz a médica.

 

Ouvindo o coração

Uma das novidades para o pré-natal é um aparelho que emite sons do coração em diversas frequências. “Estudos comprovam que o primeiro som que o bebê escuta é o coração materno. Esse som pode fazer o bebê relaxar e interagir melhor com a mãe”, relata a Dra. Erica.

Esse aparelho irá dar aulas ao bebê durante a gravidez. São vários sons de batimentos cardíacos em ritmos diferentes e a cada semana a gestante pode ir trocando. “O som tem a capacidade de estimular a área de cognição. O bebê nasce mais tranquilo, com facilidade para falar, socializar, melhora o sono, pois é estimulado desde cedo”, afirma.

O ideal é utilizar o aparelho durante uma hora. “O aparelho vem com uma pochete e a mãe pode prender no abdômen e fazer esse tratamento durante o dia ou à noite”, esclarece a ginecologista.