A importância do ultrassom
A saúde da gestante e o bem-estar do bebê dependem diretamente do acompanhamento periódico da gravidez, com exames de ultrassom. Para o Dr. Marcelo Toledo, médico especialista em ultrassonografia, são necessários o mínimo de quatro exames durante a gestação para o seu correto acompanhamento. “Estudos comprovam que os exames de ultrassonografia não fazem mal nenhum ao bebê ou a mãe, como já se chegou a especular”, alerta o médico. São realizadas avaliações biométricas, morfológicas, ultrassonografia 3D/4D, perfil biofísico fetal e estudo dopplerfluxométrico.

Publicidade

Recomenda-se que o primeiro exame seja realizado entre a 9ª e a 11ª semana de gestação, fase em que a mãe já consegue visualizar bem o embrião e o médico faz, além de sua biometria, uma análise morfológica. O segundo exame é indicado para avaliar o desenvolvimento morfológico do feto, em torno de 23 a 25 semanas de gravidez. O terceiro é feito entre a 28ª e a 32ª semana, no qual o médico continua a acompanhar sua formação.

Por último, após 36 semanas, sugere-se a realização de outro exame para avaliação de peso, posicionamento e o bem-estar do bebê. No entanto, o médico esclarece que os exames podem ser realizados em qualquer fase da gestação, este é apenas um cronograma sugerido para um planejamento mínimo de exames. Segundo o Dr. Marcelo, é interessante a mamãe saber que:

Ultrassonografia Morfológica: feita para avaliar de forma sistemática e minuciosa os órgãos fetais;

Ultrassonografia 3D/4D: tem indicação médica na avaliação de má-formações de superfície fetal, principalmente na face (Baby Face), devendo ser realizado preferencialmente em torno de 28 semanas;

Perfil Biofísico Fetal: tem como objetivo avaliar o bem-estar fetal, por meio de sua movimentação, quantidade de líquido amniótico e batimentos cardíacos, além de outros parâmetros;

Dopplerfluxometria Obstétrica: é sempre realizada com indicação médica, em casos de comprometimento da vitalidade fetal.