A importância da ressonância magnética para a saúde da mulher
Ressonância Magnética é um dos mais significativos avanços do século no que diz respeito a diagnósticos médicos por imagem. O que poucas mulheres sabem, no entanto, é que alguns exames, como a mamografia, por exemplo, podem ser substituídos pela ressonância. Aliás, ela é mais precisa em algumas situações e sempre menos dolorosa. A ressonância também traz vantagens até no diagnóstico de doenças intrauterinas. Sem contar a vantagem de não causar desconforto ao paciente e permitir imagens em duas ou três dimensões, de qualquer parte do corpo. É o que explicam nesta entrevista a Dra. Luiza Helena Vilela Ribeiro, médica radiologista especializada em diagnóstico por imagem em pediatria e doutora em radiologia, e a Dra. Hellen Luiza Vilela Ribeiro Isa, médica radiologista com grande experiência em mamas. Confira:

Publicidade

 

O que é o exame de ressonância magnética e como ele pode ser vantajoso para mamães e crianças?

O exame de ressonância magnética é um método de diagnóstico por imagem altamente eficiente e já consagrado para avaliação do crânio, abdômen e articulações. Atualmente, este método tem contribuído de forma significativa no estudo das mamas. Em relação às crianças, a sua principal utilização é em casos de tumores e má-formações encefálicas, além de ser um método não invasivo e que não emite radiações ionizantes.

Como mulheres com próteses de silicone se beneficiam desse exame?

Após a implantação das próteses, o exame físico das mamas pela paciente e/ou clínicos  (ginecologistas/mastologistas) se torna mais difícil,  pois perde-se a sensibilidade. Sendo assim, os exames de imagem (ultrassom, mamografia e ressonância magnética) são imprescindíveis e, desses, o mais eficaz para as pacientes com próteses mamárias é a ressonância magnética. Este é o método diagnóstico que tem maior sensibilidade de visualização anatômica das mamas, portanto, consegue evidenciar alterações iniciais e/ou pequenas complicações com as próteses do tipo contratura capsular (“rejeição”) ou mesmo rupturas devido a traumas, defeitos de fabricação, deterioração do material, uma vez que próteses têm tempo de validade.

 

Qual a utilidade da ressonância magnética nas pacientes com alto risco de desenvolver câncer de mama? Explique.

Sem dúvida, no quesito detecção de câncer em pacientes com ou sem próteses mamárias, a ressonância magnética é altamente sensível (88% a 100%) quando comparada com métodos já consagrados (Mamografia, Ultrassonografia e Cintilografia). Sua principal indicação é na diferenciação de cicatriz cirúrgica e recidiva tumoral, bem como em mamas pós-radioterapia e quimioterapia. É útil também quando existe discordância entre os resultados do ultrassom e mamografia na análise de um nódulo.

 

A partir de que idade crianças podem ser submetidas à ressonância magnética?

Desde o nascimento. Em alguns casos, o diagnóstico pode ser intrauterino, como, por exemplo, em má-formações encefálicas, coluna e parede abdominal.

Quais as vantagens da ressonância magnética para crianças?

É um exame que não emite radiação ionizante, sendo esta uma grande preocupação, pois, no caso das crianças, seu efeito é cumulativo e mais prejudicial, porque elas têm muitas células ainda imaturas. O contraste utilizado praticamente não apresenta reações alérgicas e trata-se de um método não invasivo.

 

Como é o procedimento da realização deste exame em crianças? O que muda em relação aos adultos?

Em crianças o exame necessita ser realizado com sedação, para maior tranquilidade. Já quanto aos adultos, a maioria consegue realizar o exame sem mais dificuldades.