Dicas para ter filhos comportados
Quer alguém mais sincero que uma criança? De repente na mesa de amigos seu filho solta uma pérola daquelas, dizendo que sua melhor amiga está gordinha ou que o marido da outra tem o nome feio. “Que vergonha!”, você imagina. Todos sorriem e a situação parece controlada. Mas é importante que os pais, desde cedo, mostrem algumas regras de bons modos para as crianças, para que elas se tornem adultos educados e bem-vistos por todos. O bom exemplo é fundamental, afinal seus filhos aprendem as primeiras lições com você. Veja a seguir algumas regrinhas básicas para ensinar aos pequenos:

Publicidade

 

• Não se esqueça de dizer por favor quando pedir algo;

• Fale obrigado;

• Não interrompa a conversa de adultos, a não ser que seja uma emergência;

• Se você precisa interromper alguém, peça licença: é a maneira mais educada de falar com alguém;

• Pedir permissão para fazer algo evitará algumas brigas;

• Nem todo mundo precisa saber do que você não gosta. Mantenha as opiniões negativas entre as pessoas próximas;

• Não fale das características físicas das pessoas, a não ser um elogio;

• Quando perguntarem como você está, responda que está bem e devolva a pergunta;

• Se passar uma noite ou uns dias na casa de algum amigo, agradeça a estadia e diga que teve bons momentos ali;

• Bata à porta antes de entrar;

• Quando ligar para alguém, apresente-se e pergunte se a pessoa pode falar;

• Não fale palavrões;

• Não xingue;

• Não faça graça com os outros;

• Agradeça os presentes que ganhar, quaisquer que sejam eles;

• Demonstre interesse em uma peça ou qualquer apresentação, mesmo que ela não seja tão legal;

• Se você trombar em alguém, peça desculpas sempre;

• Cubra a boca quando tossir ou espirrar e nunca cutuque o nariz na frente das pessoas;

• Quando passar por uma porta, veja se tem alguém atrás de você e a segure para a pessoa passar;

• Veja o que os seus pais, professores ou avós estão fazendo e pergunte se pode ajudar. Você poderá aprender coisas novas e se divertir;

• Sempre ajude quando um adulto pedir um favor;

• Use os talheres corretamente. Se você não souber, peça ajuda;

• Deixe o guardanapo por perto e use para limpar a boca, quando necessário;

• Se algo à mesa estiver fora do alcance, peça para que alguém passe para você.

Sua experiência sempre vai fazer crescer esta lista. Mas já é possível começar. Faça um mural com as “regrinhas de etiqueta” e converse sempre com seu filho sobre elas. A cada erro, fale de novo e explique por que está errado. Ele certamente guardará o aprendizado e seus amigos, ao invés de distribuírem risinhos simpáticos diante da “gafe”, se encantarão com a educação e gentileza do seu pimpolho.

Educação com limites começa em casa

Se o “não” vem se tornando uma palavrinha que quando dita em casa provoca reação inadequada no seu filho, ligue o alerta. Pode ser falta de limites. A linha que separa autoridade de autoritarismo, hierarquia imposta de hierarquia respeitosa é sutil, mas é extremamente necessária à família que deseja que a criança tenha um comportamento saudável.

Explicar o motivo de estar dizendo “não” é uma forma eficaz de demonstrar autoridade e hierarquia, importantes na formação do indivíduo. As regras devem ser claras e a comunicação adequada para que a criança compreenda o mundo, seus limites e se torne um adulto que respeita o outro e as relações, pautando-se em valores sociais e familiares, sentindo-se seguro e capaz de enfrentar a vida. Para isso, é importante estar presente no dia a dia do filho.

Jogar a responsabilidade para a escola não é eficaz, visto que ela tem papel complementar. O apoio dos pais à escola, bem como o estabelecimento de limites, é fundamental. Os pais, então, devem ficar atentos e se estiverem com dificuldade na educação dos filhos, sugere-se a procura de ajuda profissional capacitada.