Como escolher a babá certa para seu filho?
Nada de pesquisar em anúncios de jornal. Comece perguntando aos parentes, amigos ou procure as agências especializadas. E prepare-se para uma maratona de entrevistas, mesmo que consiga uma indicação de confiança. Neste caso, as chances de sucesso são maiores, sim, mas não há garantia de que a experiência positiva de uma prima ou uma colega de trabalho vá funcionar da mesma forma com vocês. Antes de chamar qualquer pessoa para conversar, pense sobre suas expectativas em relação a ela, a disponibilidade de ensinar os hábitos da casa, a maneira como pretende educar seu filho e os valores importantes para a família.

Publicidade

Cursos

Os certificados de conclusão de cursos na área entram como demonstração de um empenho profissional, embora seja necessário que se verifique a validade dessa certificação, a abrangência e qualidade do conteúdo dos cursos feitos e até mesmo o material didático, se houver. É preciso notar, ainda, que as candidatas que não possuem alguma certificação pode não ter tido essa oportunidade por diversos motivos. A experiência, por si só, pode não significar tanto se a candidata demonstrar rigidez em seu comportamento, apego a crendices, inadaptabilidade ou desinteresse. Algumas vezes, treinar babás inexperientes pode ser mais eficaz, desde que observadas responsabilidade e iniciativa necessárias.

Para acertar na escolha

Certamente a primeira impressão é marcante, mas fique atenta a características como boa aparência, higiene, postura, tom de voz, maneira de falar, gestos, bom humor, boa vontade, tranquilidade, disposição física, capacidade de comunicação, sociabilidade e afetuosidade, entre outras. O nível de instrução também conta para quem estará às voltas com dosagens de remédios, receituários médicos, termômetros, horários de refeições, cardápios...

Tem referências?

Melhor que tenha. Mas não recuse uma candidata que tenta seu primeiro emprego, desde que, é claro, ela tenha qualificações como cursos e estágios em áreas de puericultura ou enfermagem, por exemplo. Exija atestado médico, carteira de identidade, de trabalho, certificado de vacinas. Busque uma ficha negativa de antecedentes criminais, na polícia. E não deixe de ligar para os antigos patrões.

Após a escolha

Depois de todos os cuidados na contratação não se esqueça de observar o comportamento que seu filho apresenta diante da presença da babá. Mesmo que ele ainda não fale, saberá sinalizar se está tranquilo ou triste. Se for preciso, não hesite em mudar de babá.

Pergunte tudo

Seja direta, mas delicada. Perguntas muito incisivas podem, inibir e causar constrangimentos. Não termine a entrevista com a sensação de que não conseguiu as respostas que desejava. Se for preciso, faça um roteirinho prévio. Indague, por exemplo, a idade, onde e com quem ela mora, se tem pais, os endereços; o estado civil. Sendo casada, tem filhos, quem tomam conta deles; se ela fuma, usa (ou já usou) algum tipo de droga ou medicamento fortes; caso a família precise, pode viajar? O que faria em situações de febre alta, vômito, engasgo...