Sling: benefícios para a mãe e o bebê

Publicidade

Se você já viu alguém na rua usando uma tira de pano ao redor do corpo envolvendo mãe e bebê, talvez tenha ficado curioso sobre o sling, um carregador de pano que está fazendo sucesso entre as famílias. O sling, ao contrário do que muitos pensam, não é algo recente. Em muitas culturas, é possível encontrar mães e bebês unidos por um carregador, numa díade (mãe-bebê) que respeita as necessidades físicas e emocionais do recém- nascido.

Imagine que você é o seu bebê. Você acabou de chegar ao mundo e tudo lhe parece estranho e um pouco assustador, afinal tudo é diferente de onde você estava. O útero materno lhe fornecia alimento, calor, amparo. E de repente tudo mudou... como não estranhar? Nesses primeiros meses de vida, os bebês precisam de um ambiente equivalente ao que dispunham nas barrigas de suas mães, por isso é normal que busquem o calor e contato físico com seus pais.

No colo da mãe, o bebê possui um ambiente adequado e seguro, consegue ouvir sua voz e o som do seu coração (sons habituais ao bebê), está próximo ao seio onde consegue se alimentar, sente seu cheiro e isso o tranquiliza, e fica em movimento suave e constante (assim como na barriga). E carregar o bebê com o sling proporciona tudo isso e mais:

1. Melhora/evita a cólica (permite maior contato pele a pele);

2. Facilita dar colo ao bebê sem que pra isso você tenha que sentir dor nos braços e costas;

3. Indicado para bebês com refluxo (a criança permanece na posição verticalizada;

4. Reduz o estresse e o choro da criança (muitas vezes o que o bebê precisa é de contato físico);

5. Os braços ficam livres;

6. Permite amamentar de forma discreta;

7. Respeita o corpo do bebê, deixando-o em posição natural;

8. É uma incubadora natural para os prematuros;

9. Ajusta-se facilmente a diversos tamanhos de bebês e adultos;

10. É mais prático, leve e econômico que carrinhos e bebês-conforto;

11. Ajuda a mãe a retornar à vida ativa e socialização (a mulher se torna mais independente, conseguindo realizar tarefas, sair de casa etc.);

12. Pais mais calmos e confiantes (a proximidade ajuda os pais a reconhecerem as necessidades do bebê facilmente, tornando-os mais seguros).