Pintinhas de pele na gravidez: devo me preocupar?
No período da gravidez, em função das muitas alterações hormonais, pode haver o surgimento de algumas lesões de pele, conhecidas popularmente como ‘pintas’ ou ‘verrugas’. Pode ocorrer também o crescimento de lesões que já existiam previamente à gravidez. Essas lesões de pele podem tanto ser benignas quanto malignas. Então, quando se preocupar?

Publicidade

A dermatologista Dra. Aline Somacal explica que é importante a avaliação de um especialista que fará a análise minuciosa das lesões de pele com um aparelho chamado dermatoscópio. Após o exame dermatológico e dermatoscópico, opta-se pelo acompanhamento da lesão cutânea ou a retirada cirúrgica.

“Acrocordons, queratoses seborréicas, granulomas piogênicos, angiomas rubis são exemplos de lesões cutâneas totalmente benignas, que podem surgir em decorrência da gravidez e que não necessitam tratamento. No entanto, se for optado pela retirada, essas lesões podem ser removidas facilmente por procedimentos simples realizado em consultório, sob anestesia local”, informa a dermatologista.

Já os nevos - lesões escurecidas na pele, popularmente conhecidas como ‘pintas’ ou ‘sinais - demandam uma atenção maior do dermatologista. “A grande preocupação é com o Melanoma, um câncer de pele muito agressivo, que pode surgir de um nevo ou ser confundido com um nevo benigno. Poucas pessoas sabem que o Melanoma é o câncer mais comum na gravidez. Toda lesão pigmentada com suspeita de câncer de pele deve ser removida cirurgicamente ainda na gravidez e enviada para análise histopatológica”, alerta a Dra. Aline.

Portanto, se houver surgimento durante a gestação de pintinha escurecida na pele ou alguma pintinha antiga que tenha aumentado de tamanho ou mudado seu aspecto em relação às demais, não hesite em consultar um dermatologista!