Supere o fim da Licença Maternidade
O bebê já completou quatro meses, e para muitas mamães é a hora  de voltar ao trabalho. Nesse momento várias dúvidas, preocupações, medos surgem. O Manual da Mamãe vai te ajudar a conciliar a rotina de trabalho com a jornada da maternidade.

Publicidade

Quem vai ficar com meu bebê?

Essa é uma decisão complicada, se você puder contar com a ajuda da sua mãe, sogra ou alguma pessoa da família é muito bom, pois são pessoas próximas da criança e de maior confiança.

Porém, é importante não sobrecarregar essa pessoa, combine os dias e os horários previamente. Se tiver condições financeiras, contrate uma babá para ajudar esse membro da família nas atividades.

Caso você não possa contar com ninguém da família, as opções são deixar a criança em uma creche ou contratar uma babá para cuidar do seu pequeno.

Em ambas as situações é preciso escolher bem e construir a confiança necessária, além de estar sempre atento ao tratamento que se dá a criança, ligar sempre que possível e perceber se a criança está com alguma alteração no comportamento.

 

Planeje:

Até mesmo durante a gravidez, a mamãe já pode começar a organizar a casa e a rotina para o bebê, quando ela tiver que trabalhar. Assim, não fica tudo para a última hora. Coloque no papel quais decisões precisam ser tomadas e quais são as opções viáveis, converse com sua família e recolha opiniões.

Deixe um cronograma com as tarefas e horários, como tomar banho, colocar para dormir, para orientar quem for cuidar do seu bebê.Outra orientação é deixar em um lugar visível seu telefone anotado, juntamente com os números de emergência e os documentos do bebê separados.

A maior parte da ansiedade das mães tem relação com a amamentação, se a mulher tiver uma grande produção de leite, ela pode fazer um estoque e deixá-lo no freezer por até 15 dias, de preferência longe de alimentos como embutidos e temperos, e esquentá-lo em banho-maria, nunca no micro-ondas . Se não for possível, na hora da fome o bebê vai aceitar a mamadeira, fale com seu pediatra sobre a melhor opção de leite.

Preparando você e seu filho emocionalmente:

Quem mais sofre, geralmente, são as mamães. As inseguranças são muitas, “Será que meu filho está bem?”  “Meu bebê está comendo direito?” “Será que ela está chorando muito?” Para as mamães que estão angustiadas com o fim da licença-maternidade, a boa notícia é que a relação mãe e filho é tão forte que dificilmente será abalada por causa dessa separação, desde que os momentos que elas tenham com a criança sejam  significativos.

Se concentre no seu trabalho e estabeleça horários para entrar em contato com a pessoa que está cuidando do seu filho, transmita segurança e tranqüilidade para seu bebê, para que ele se adapte bem a nova rotina. Não existem  técnicas específicas para fazer o bebê se habituar à falta temporária da mãe, mas será mais fácil se ele conviver com outros familiares e pessoas , colos diferentes, como o da avó ou da babá, ajudam a criança a não estranhar outras pessoas na ausência da mãe.

Direitos:

Os benefícios atendem apenas a mulher empregada com contrato de trabalho formal (carteira assinada)

Pausas para amamentar:

Até os seis meses de idade do filho, a mãe tem direito a dois descansos especiais, de meia hora cada um, durante jornada de trabalho, que não se confundirão com os intervalos normais para repouso e alimentação. Podendo ser aumentado em caso de necessidades médicas.

Licença Maternidade

A Constituição de1988 garante para todas as mulheres trabalhadoras sob o regime CLT o direito a 120 dias de licença.

Creche ou Berçário

Em estabelecimentos que trabalham pelo menos 30 mulheres com mais de 16 anos de idade deverá ter local apropriado onde seja permitido às empregadas deixar, sob vigilância e assistência, os seus filhos durante o período da amamentação.