Pai é condenado a 18 anos de prisão por abusar de duas filhas
Um homem foi condenado a 18 anos, 4 meses e 15 dias de reclusão em regime fechado pela prática de atos libidinosos com as filhas, em 2017, em Novo Gama, entorno de Brasília. Na época as crianças tinham 4 e 6 anos de idade. De acordo com a sentença da juíza Polliana Passos Carvalho, o pai teria constrangido uma das meninas com a exibição de vídeos contendo cenas de sexo explícito ou pornográficos, com o fim de praticar com ela as mesmas cenas. Ele ainda as ameaçava de morte, caso revelassem os abusos a outras pessoas.

Publicidade

Segundo consta nos autos, o homem chamou a filha mais velha e pediu que deitasse ao seu lado, mas, segundo os relatos da própria criança, ela teria se deitado perto da parede. Em seguida, o pai abaixou as calças, colocou o seu órgão genital para fora e, exibindo-lhe, disse: “Está vendo isso?”, oportunidade em que a menina respondeu: “eca pai”. Na sequência, segundo a decisão, o homem ejaculou na boca da criança, caso que foi relatado pela vítima como “urina do pai”.

De acordo com o processo, em novembro de 2017, as meninas contaram para a avó materna o que tinha acontecido. Ela, imediatamente, relatou para sua filha, mães das meninas. Ainda de acordo com o documento, a mãe das crianças teria contado sobre a situação ao marido, que acabou ameaçando a sogra. A avó acionou então o Conselho Tutelar da cidade e denunciou o genro na Delegacia de Polícia.

A juíza reiterou que, embora os laudos de exame médico tenha concluído que não houve conjunção carnal, nada interfere na caracterização da materialidade do delito, já que a acusação está pautada na prática de atos libidinosos diversos. A magistrada ponderou ainda que não há dúvidas quanto aos atos praticados pelo denunciado. As provas foram suficientes para condená-lo.

Com informações do Mais Goiás

Leia também: Como ensinar a criança que ninguém pode tocar no corpo dela?