O que fazer para preservar a infância do seu filho?

Com a tecnologia e o ritmo acelerado da modernidade, somados à pandemia, assegurar o pleno desenvolvimento dos pequenos pode ser desafiador. A educadora Lucia Tavares, diretora do Marista Escola Social Irmão Justino, salienta: “Para preservar a infância, é muito importante que as crianças convivam com outras, mantenham o hábito de brincar, que desenvolve muitas capacidades, e estejam expostas a conteúdos adequados para suas faixas etárias”.

No que diz respeito ao convívio social, os últimos dois anos não foram favoráveis. As crianças nascidas a partir de 2019, por exemplo, não têm muitas experiências fora de casa ou interagindo com outras em espaços públicos. Mas, conforme as escolas retomam as aulas presenciais, essa situação tende a se suavizar.

Como os pais podem preservar a infância
A diretora Lucia Tavares lembra que as atitudes tomadas pelos pais têm papel fundamental no processo de garantir o pleno desenvolvimento infantil. “A infância precisa ser vivida integralmente, sem apressar as etapas do crescimento, e pais informados podem tomar as melhores decisões sobre quais limites impor e como estimular que os filhos desfrutem do melhor deste momento”, pontua.

Confira dicas de como fazê-lo:

Contato seguro
Enquanto estamos em pandemia, assegure-se de que a criança pode interagir com outras de forma segura: dê preferência a passeios ao ar livre, como parques, praças ou quintais e não descuide do uso de máscaras.

Conteúdos adequados
Esteja atento a quais conteúdos seu filho consome quando está em frente às telas. Certifique-se de que são educativos e adequados para sua idade e, sempre que puder, assista junto para que vocês possam conversar sobre.

Brincadeiras livres
Estimule que a criança se ocupe com atividades diversificadas. Estabeleça um limite de horas para o uso de equipamentos eletrônicos e sugira brincadeiras, jogos e atividades manuais.

Nada de crescer antes da hora
Tenha cuidado para não sobrecarregá-la com assuntos ou tarefas complexas demais para sua idade e tamanho. Ao distribuir atividades em casa, peça que seu filho ajude com pequenas tarefas e evite conversar com ele sobre “assuntos de adulto”, que podem deixá-lo ansioso ou fazê-lo sentir um senso de responsabilidade que ainda não precisa.

Publicidade

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com