Mães têm mais responsabilidades em casa que pais durante quarentena
Muitas mamães estão sentindo na prática o que um estudo britânico apontou. As mães assumiram mais responsabilidades no cuidado das crianças e nas tarefas domésticas do que os pais durante a quarentena para evitar a propagação da Covid-19.

Publicidade

A pesquisa, do Instituto de Estudos Fiscais (IFS) e da Universidade College London, Reino Unido, indica que nas famílias em que ambos os pais estavam empregados, as mulheres passaram mais tempo simultaneamente tentando trabalhar e cuidar dos filhos em comparação com seus parceiros.

As mães têm muito mais probabilidade de serem interrompidas durante o horário de trabalho remunerado do que os pais. Em média, elas podem dedicar plenamente ao trabalho remunerado 1/3 das horas que os pais conseguem.

Enquanto elas conseguem dedicar-se ao trabalho remunerado cerca de duas horas por dia - os pais trabalham quatro - mais de 10 horas são voltadas ao cuidado com as crianças. Outras quatro vão para o trabalho doméstico. Os pais gastam oito horas cuidando dos filhos e 2 horas com a casa.

Método

Nessas horas de cuidado com as crianças, os pesquisadores contabilizaram o cuidado ativo. Ele envolve atividades como dar banho, colocar para dormir e brincar. Mas também os cuidados passivos, que significam estar no mesmo cômodo que o filho, garantindo sua segurança sem interagir diretamente com ele.

Outros dados

O estudo, feito com mais de 3,5 mil famílias britânicas, mostrou também que as mães foram mais demitidas ou afastadas dos cargos desde o início da quarentena do que os pais.

A única situação em que pais e mães dedicaram o mesmo número de horas no cuidado com as crianças e tarefas domésticas foi quando o pai estava desempregado e a mãe tinha trabalho remunerado.

Os pesquisadores alertam ainda que a redução acentuada no tempo que as mulheres dedicam ao trabalho remunerado em meio à crise pode prejudicar suas carreiras. Isso aumentaria ainda mais a diferença salarial entre os gêneros quando ao fim da quarentena.

Leia também: 66% das crianças têm dificuldades de se adaptar à rotina na quarentena

Para mais conteúdos sobre gestação e maternidade, visite nosso Instagram: @manualdamamae