Férias no Araguaia: como prevenir afogamentos
Julho é época de alta temporada no Rio Araguaia. Ao longo de sua extensão, é possível encontrar cachoeiras, áreas de camping, trilhas, praias e locais com estrutura para pesca e atividades náuticas. Uma ótima opção de lazer e diversão para toda a família. Porém, com água não se brinca, é preciso cuidado redobrado com as crianças para evitar afogamentos.

Publicidade

No Brasil, esse tipo de ocorrência é a segunda maior causa de morte e a sétima de hospitalização por motivos acidentais entre crianças com idade de zero a 14 anos. O afogamento normalmente ocorre de maneira rápida e silenciosa. Pode acontecer em um breve momento em que a criança encontra-se sem supervisão. Em apenas dois minutos submersa, o pequeno perde a consciência. Após quatro minutos, podem ocorrer danos irreversíveis ao cérebro. Confira, a seguir, dicas da ONG Criança Segura para prevenir afogamentos:

  • Nunca deixe crianças sozinhas quando estiverem dentro ou próximas da água, nem por um segundo. Nessas situações, garanta que um adulto estará as supervisionando de forma ativa e constante o tempo todo;
  • Ensine as crianças que nadar sozinhas, sem ninguém por perto, é perigoso;
  • O colete salva-vidas é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos. Boias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança, mas podem estourar ou virar a qualquer momento;
  • Tenha um telefone próximo à área de lazer e o número do atendimento de emergência sempre visível (SAMU: 192; Corpo de Bombeiros: 193);
  • Muitos casos de afogamentos acontecem com pessoas que acham que sabem nadar. Não superestime a habilidade de crianças e adolescentes;
  • Crianças devem aprender a nadar com instrutores qualificados ou em escolas de natação especializadas. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também;
  • Ensine as crianças a não correr, empurrar, pular em outras crianças ou simular que estão se afogando quando estiverem na piscina, lago, rio ou mar;
  • Tenha certeza que as crianças estão nadando em uma área segura do rio;
  • Ensine as crianças a respeitarem as placas de proibição nas praias, os guarda-vidas e a verificarem as condições das águas abertas.

Primeiros Socorros

Se o afogamento ocorrer, fique atento a estas dicas de primeiros socorros:

  • Retire a criança da água.
  • Se tiver outra pessoa presente, peça para chamar o Serviço de Emergência (SAMU- telefone 192).
  • Se você estiver sozinha, inicie as manobras de reanimação e, após 2 minutos, chame por socorro.
  • Deite a criança de barriga para cima, em lugar plano.
  • Tente chamar a criança e verifique se ela está respirando.
  • Se ela estiver desacordada, mas respirando, deite a criança de lado (todo o corpo e não só a cabeça), para evitar aspiração e engasgo, e mantenha-a nessa posição de recuperação até que a ambulância chegue.
  • Se ela estiver desacordada, sem respiração ou arroxeada, inicie as manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP). A criança afogada pode parar de respirar enquanto seu coração ainda está batendo e, nesses casos, ela pode precisar apenas de ventilação.
  • Posicione uma mão sob o queixo e outra na testa da criança e movimente levemente a cabeça para trás e a ponta do queixo para cima para estender o pescoço e abrir as vias aéreas (locais onde o ar tem que passar para chegar ao pulmão).
  • Realize 5 “ventilações de resgate” (respiração boca a boca): com o polegar e o indicador pince as narinas da criança e com a sua boca sopre o ar dentro da boca dela cinco vezes seguidas.Se a criança tiver menos de 1 ano de idade, a boca do socorrista deve englobar a boca e o nariz dela. Avalie se os pulmões expandiram observando a elevação do tórax.
  • Se não ocorreu expansão do pulmão, realize 30 compressões torácicas no esterno (o osso do meio do peito), logo abaixo da linha imaginária que liga um mamilo ao outro. Em menores de 1 ano de idade a compressão deve ser feita com dois ou três dedos de uma mão. Em maiores de 1 ano use a região mais saliente da palma da mão (calcanhar da mão) e as compressões devem ser feitas no 1/3 inferior do osso.
  • Em seguida, faça 2 ventilações de resgate e a sequência de 30 compressões torácicas e 2 ventilações deve ser repetida até o bebê voltar à vida ou até que a ambulância chegue.
  • Se ela voltar a respirar, a qualquer momento, deite-a de lado.

 

Acompanhe o canal do Manual da Mamãe no YouTube:

https://www.youtube.com/watch?v=WQu8kA0Q4qI&t=3s