Escolas públicas do DF estão proibidas de servir embutidos nas merendas
Alimentos embutidos de origem animal, como salsicha, mortadela, linguiça e presunto estão oficialmente proibidos no cardápio da merenda escolar servida aos alunos da rede pública de ensino e instituições conveniadas à Secretaria de Educação do Distrito Federal. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última segunda (13) e tem validade imediata.

Publicidade

O projeto de lei, de autoria do deputado distrital Reginaldo Sardinha (Avante), propõe uma alimentação mais saudável aos estudantes. Segundo o distrital, a retirada de tais ingredientes na refeição das escolas é uma forma de cuidar da alimentação dos alunos.

“As pessoas não estão preocupadas com o que está sendo servido diariamente para as nossas crianças. Os embutidos, por sua vez, são alimentos agressivos e até mesmo nocivos à saúde de todos”, explicou Sardinha ao Correio Braziliense.

A Secretaria de Educação garantiu que não utiliza alimentos embutidos na merenda escolar desde o ano letivo de 2010. Segundo o órgão, a prática visa eliminar do cardápio das unidades escolares itens como salsicha, mortadela, linguiça e outros produtos industrializados, dando preferência a utilização de ingredientes naturais ou minimamente processados.

Faz mal

Segundo relatório feito pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde (OMS), os embutidos são um fator de risco para a doença e integram o grupo 1 de carcinogênicos. Segundo a entidade, esses itens contribuem para o surgimento da doença no intestino. O consumo de 50g de alimentos embutidos e defumados aumenta em 18% o risco do desenvolvimento de câncer colorretal.

A substância cancerígena que pode ser gerada com o consumo dos embutidos é a nitrosamina. Essa substância é proveniente do Nitrito e Nitrato de Sódio, existente em grande quantidade nesses alimentos, por meio de um processo chamado Nitrosação.

Além desses alimentos apresentarem algumas substâncias consideradas cancerígenas, apresentam ainda elevada quantidade de sódio, gordura e conservantes que tendem a prejudicar a saúde da população.

Leia também: Dicas para a criança se alimentar melhor no verão