Ensine o seu filho a se decidir
 A proporção que os filhos vão crescendo, a sua independência vai vindo à tona aos poucos. Assim que eles entram na escola, mais ou menos entre os quatro, cinco anos,  muito deles começam a tomar suas próprias decisões. Mas isso pode deixá-los um pouco confusos, afinal eram seus pais que decidiam tudo antes. Pensando assim, criamos algumas dicas pra você ajudá-lo a se sentir mais confortável diante de qualquer decisão.

Publicidade

Exponha todas as opções e o que está em torno delas 

Se você apresenta duas ou mais possibilidades para ele, apresente também quais são as vantagens e desvantagens por trás daquela escolha para que ele aprenda que há um esforço necessário para tomar decisões e também, todo um cenário em volta disso. Por exemplo, se você levar o cachorro para passear durante o dia, vocês podem aproveitar o sol e até parar para comer alguma coisa ou até para seu filho brincar na pracinha. Já se você deixar para passear a noite, o passeio vai ser mais rápido porque vocês precisam chegar em casa cedo. Apresente opções e deixe-o decidir.

Defina menos opções 

Para fazê-lo se sentir mais seguro, delimite no máximo três opções para que ele não jogue a decisão para você. Por exemplo, se ele tem que levar um brinquedo para a escola, diga que ele só poderá levar um carrinho ou um boneco e diga que da próxima vez ele poderá levar o que não pôde dessa.

Níveis de importância

Apresente para o seu filho o nível de importância de cada escolha. Por exemplo, escolher a escola que vai estudar ou o tipo de suco que quer tomar, tem níveis de prioridades diferentes. Explique para ele a diferença entre escolha menores que podem ser feitas de forma rápida e as escolhas maiores que precisam de mais tempo para ser pensadas. Assim, ele vai passar a se preocupar menos com escolhas que não tem tanta importância.

É errando que se aprende 

Mostre para ele que é natural cometer erros, mas saiba corrigi-lo e ensine-o que todo erro tem um consequência, isso irá ajudá-lo no crescimento. Se seu filho insistir no erro, converse com ele, explique o que poderá acontecer se ele seguir com aquilo e cumpra o que disse.