É possível escolher o sexo do bebê?
O sonho de muitas mamães e papais é escolher o sexo do bebê e, por isso, vão atrás de vários métodos para realizarem esse desejo. Entretanto, a maneira mais eficaz de escolher o sexo da criança é através da reprodução assistida, procedimento realizado geralmente apenas em casais com dificuldade para engravidar ou histórico de doença que acometa membros de algum dos sexos no histórico familiar.

Publicidade

Porém, nem tudo está perdido. Segundo alguns estudos, há alguns momentos durante o período fértil da mulher em que há maiores chances de ser concebido o bebê com o sexo desejado. Caso o casal queira um menino, a probabilidade é maior durante o período fértil e se há um número maior de relações sexuais semanalmente.

Isso acontece porque os espermatozóides de gene Y são mais leves, mais rápidos e menos duradouros do que os que carregam o cromossomo X. Por isso, nessa época, têm mais chances de chegar ao óvulo e com relações mais frequentes, aumenta o número de espermatozóides Y no ambiente tubáreo. Porém, o número de relações sexuais deve aumentar dois meses antes do início da tentativa de engravidar e deve ter certa frequência desde então.

Já para o casal que deseja uma menina, ele tem mais chances de ser realizado se as relações acontecerem depois do principal dia fértil da mulher. De toda forma, não serão as fases da lua ou certas posições na relação sexual que definirão o sexo do bebê. E para quem já tem uma menina ou um menino, as chances de ter uma criança com o sexo oposto são as mesmas de ter uma criança com o mesmo sexo.