Como tornar as crianças mais confiantes?
Terapeuta familiar, especialista em autoconhecimento e autora do livro O Mapa da Felicidade (Editora Gente), Heloísa Capelas destaca para os pais quais os passos para trabalhar a autoconfiança nos filhos.“Inicialmente, é preciso saber que não é possível que um adulto dê ou desenvolva a autoconfiança para seu filho, porque ela precisa ser autodesenvolvida. O caminho é individual e intransferível, mas nós podemos instrumentalizar e oferecer oportunidades para nossas crianças”, afirma Heloísa. De que maneira?

Publicidade

1) Seja você.

Não tem como dar oportunidade às nossas crianças de criar um ambiente para desenvolver autoconfiança sem que você tenha desenvolvido a sua. Essa história de dizer que “vou dar para meu filho tudo aquilo que não tive na minha infância”, neste caso não funciona. Nós não damos aquilo que não temos ou não tivemos porque as pessoas precisam viver o que têm para viver. Então, não compense nada nos seus filhos e seja o melhor pai ou a melhor mãe que você puder ser.

2) Crie intimidade com sua criança.

Como fazer isso? Não é dando banho, não é pondo para dormir. A intimidade vem do olho no olho. É você poder olhar para seu filho (a) e estar disponível para ele (a), principalmente na hora de fazerem atividades juntos (as). Rezar, almoçar, passear, jogar, isso faz com que vocês criem um fluxo de energia positiva e de amor. Escute-o quando ele (a) conta novidades da escola, olhe nos olhos, diga o quanto ele (a) é importante para você, o quanto o (a) ama. E lembre-se, a qualidade do seu tempo é muito mais importante que a quantidade!

3)  Dê oportunidade para fazer pequenas tarefas.

Comece a envolver a criança nas atividades de casa, mesmo que tenha muitos empregados. Coloque-a para arrumar a cama ou a gaveta, enxugar a louça, guardar a roupa no armário, assim ela colabora e aprende que também faz parte da família. Não deixe que seu filho seja mimado e sem educação, isso é péssimo para seu aprendizado. Pois, nós valemos pela nossa utilidade. Então, o “tão útil eu sou” ou “me sinto” ajuda a construir minha autoestima.

4)  Elogie sempre.

Seja verdadeiro(a), não faça como a “mãe coruja”. Reconheça, olhe para a criança, veja os talentos dela e diga: “Eu gostei muito do que você falou, do seu jeito, de como você se comporta”. Fale sobre o que verdadeiramente você viu na criança, pois estará reconhecendo aquele talento. Elogio constrói autoestima, mas não deixe seu filho pensar que ele é o melhor ou o que sabe mais. Mostre para ele que somos todos iguais e que ele tem muito valor, mas não é pior, nem melhor que ninguém.

Hoje nós vivemos uma crise moral no mundo porque nós mimamos nossos filhos e não entendemos que criança precisa de 50% de não, mas precisa também de 50% de amor. Isso é um valor que precisa ser passado para as crianças para que elas construam uma autoconfiança legítima.

5)  Diga não.

A criança precisa de limite e de referência. Os filhos  esperam que os pais mostrem como é ser gente, por isso, seja autêntico para ele (a). E a cada “não” que você disser, precisa dizer três vezes “sim” para o que realmente ele puder fazer, porque se você dá essa referência, ele vai crescer sabendo seguir regras.