Como preparar o filho para a chegada do irmão?
De repente, toda a atenção exclusiva que era dada a um filho vai diminuindo. A barriga da mamãe vai crescendo e se torna naturalmente o foco da família. Os presentes, as roupas, os brinquedos, as visitas desejam saber mais sobre o novo integrante da família que vai chegar. Essa é uma nova fase. Fase de mudança, de reorganização, de medo e insegurança diante dos relatos de amigos que passaram por isso e das experiências diversas que vivenciaram, sejam elas positivas ou negativas.

Publicidade

Geralmente, o cuidado é destinado para a mamãe, sua barriga e os preparativos para chegada do segundo bebê. Entretanto, uma pessoinha está sem compreender a plenitude desse momento, porque efetivamente está tendo algumas “perdas” com tudo isso. A família vai mudar e precisa se organizar para isso. Falamos muito sobre organização e planejamento físicos, estruturais, mas pouco se fala das emoções que estão sendo geradas nesta nova família.

Os adultos podem ter mais flexibilidade para lidar com essa transição, pois  provavelmente amadureceram com a chegada do primeiro membro da família e já exercem o papel de cuidadores, porém o filho único ainda não sabe como é ser o filho mais velho. É um papel novo e até então pouco cogitado (mesmo aqueles que pedem um irmão, muitas vezes não imaginam como é!) ou até mesmo incompreendido conceitualmente.

Algumas dicas podem contribuir muito nesse processo, com o intuito de confortar, orientar e fortalecer os laços da família.

1. Que tal começar contando a verdade? Ele vai ganhar um irmão(ã)!

2. Ele pode também ver os exames, acompanhar e sugerir nomes, participar da escolha das cores, das lembranças, dos detalhes.

3. Vamos falar um pouco sobre a história de vida dele? Filmagem de momentos como gestação, nascimento, fotos de festinhas, de eventos da escola, os desenhos e quadros pintados, etc... podem servir de material para mergulharmos na história dele. Os resultados são deliciosos! Eles se divertem muito e ficam curiosos para saber mais.

4. Ler livros sobre como é ter um irmão ou a chegada de um bebê auxiliam na imaginação e na elaboração dessa fase.

5. Lembre-se: O recém nascido não estará atento ao que acontece como o seu filho mais velho, portanto inclua-o em todas as atividades possíveis e viáveis.

6. Junto com seu filho prepare um presente simbólico para darem quando o irmãozinho chegar. Faça o mesmo para o mais velho sem que ele veja: crie uma lembrança especial para oferecê-lo em nome do bebê.

7. Apresente-os! Permita que eles se toquem, se beijem, ensine o mais velho a pegar, aceite o auxílio para dar banho, mostre que o choro é a forma que ele tem de se comunicar, de forma simples e clara para que ele entenda.

8. Tire fotos e mostre para o mais velho como eles são amados e lindos.

9. Peça para trocarem alguns brinquedos, quando possível. Peça-o para ajudar a escolher um brinquedo para bebê e ofereça algum brinquedo do bebê para ele brincar.

10. Elogie o comportamento, as atitudes do seu filho. Ele está tentando fazer o melhor que pode.

11. O papai pode passear somente com ele enquanto a mamãe cuida do bebê e o papai pode cuidar do bebê enquanto a mamãe faz um programa com o filho mais velho.

12. Explique quando for se ausentar com o bebê sem ele, converse sobre o que está acontecendo.

13. Leve pequenas lembranças ao hospital ou as tenha guardadas em casa. Algumas visitas levam presentes para o mais novo e isso pode gerar desconforto e ciúme.

14. Comunique a escola sobre a chegada do irmão. Eles podem desenvolver estratégias lúdicas para facilitar esse entendimento da criança também.

15. Beijos, abraços, carinhos e cheirinhos não vencem com a idade. Use sempre!!!

16. Muitas vezes é tentador deixar seu filho com algum parente, mas tente mantê-lo por perto nesses primeiros meses de conhecimento e adaptação. Acredito que fará muito bem para ele e para todos da família.

Por Juliana Benevides - Psicóloga Clínica CRP 17.844