Os tombos e os dentinhos
Quando as crianças começam a engatinhar e, logo em seguida, dão seus primeiros passinhos, é comum a ocorrência de quedas, seguidas de batidas na região da boca. Ninguém está livre ou mesmo preparado para tais acontecimentos, que poderão traumatizar os dentinhos de leite, principalmente os da frente, trazendo assim consequências sérias. Por isso, é preciso sempre ter ao seu alcance o telefone de um odontopediatra. Afinal, acidentes acontecem em qualquer lugar, seja em casa, na escola ou em um passeio ao shopping.

Publicidade
Pra saber mais sobre o assunto, o Manual da Mamãe entrevistou o Dr. Rogério de Almeida, que nos deu dicas preciosas sobre o assunto. Segundo o profissional, existem 11 tipos de traumas, alguns deles podem levar até a perda do dente. Por esta razão, o mais indicado é que, logo após a batida, os pais encaminhem a criança a um odontopediatra, para que seja feita uma radiografia, bem como um acompanhamento clínico periódico, o que evitará o comprometimento desse dente e garantirá o desenvolvimento normal do dente sucessor permanente. Ela ressalta que toda a queda deve ser observada, mesmo que tenha feito apenas aparentemente um corte nos lábios. Saiba agora ao que fazer em cada caso:

Subluxação: Ela se caracteriza por uma leve mobilidade e sangramento ao redor do dente. Neste, caso, deve-se fazer a higienização com um antisséptico adequado. O dentista é quem verá se há necessidade de contenção do dente.

Fratura da coroa (Quando o dente quebra): Aparte quebrada deve ser guardada em um recipiente com o leite para possível colagem do dente em um consultório odontológico. O pedaço poderá ser reposicionado. Esse dente poderá ficar sensível ao frio.

Intrusão (Quando o dente entra na gengiva): O dente é deslocado de sua posição original, podendo entrar totalmente ou parcialmente na gengiva e osso (intruir). O dentista deve ser consultado, para que a extensão do dano seja avaliada. Muitas vezes, esse dano é maior do que aparenta ser. O dentista deve também orientar os pais sobre cuidados a serem tomados na área afetada, assim como sobre futuros problemas que poderão comprometer a dentição permanente.

Avulsão no caso de dente de leite (Quando o dente sai totalmente) : Em certas circunstâncias, como impactos horizontais, é comum acontecer um deslocamento total do dente. Quando ocorre a perda total no dentinho de leite (avulsão), normalmente em quedas de crianças entre dois e cinco anos, o mesmo poderá ser reposto através de uma prótese fixa, completamente adaptada a este paciente. Isto reabilitará as funções do dentinho, preservando as funções da fala, da mastigação e não comprometerá a estética bucal da criança.

Avulsão no caso de dente permanente: Neste caso, o reimplante é importantíssimo. Para que se obtenha sucesso no reimplante, é necessário manter a calma e fazer a criança morder uma gaze ou um pano limpo, com pressão para que se possa controlar o sangramento. Ache o dente. Pegue-o somente pela cora. Não toque na raiz, Resíduos devem ser cuidadosamente tirados do dente com o soro fisiológico ou leite morno. Não esfregue a raiz do dente. Coloque o dente de volta no seu lugar ( no alvéolo) na boca da criança. Faça a criança morder novamente uma gaze ou um pano limpo, para que os dentes se mantenham na posição. Procure imediatamente um dentista. Se você não conseguir colocar o dente em sua posição, mantenha-o em uma solução de soro fisiológico ou em leite ou mesmo na boca da criança (debaixo da língua) até chegar ao dentista. O resultado final de um reimplante depende muito do período que o dente ficar fora do alvéolo e da conservação do mesmo nesse período.

Como evitar:

• Estimular a criança a começar a andar em cima de tapetes emborrachados, apra evitar o contato brusco com o chão;

• Evite situações de risco, como uso de andadores para bebês;

• Compre meias antiderrapantes para quando o bebê estiver começando a andar;

•Seu filho deve usar protetores bucais para a prática de esportes como skates, bicicleta (a partir de 4 anos);

• Mantenha sempre a criança afivelada com o cinto de segurança e na cadeirinha própria para bebês;

• Faça opção por calçados adequados e sem saltos.