Toda gestante precisa de suplementação nutricional?
Durante a gestação, o metabolismo requer alguns nutrientes e os suplementos são indispensáveis. “Suplementos nutricionais para gestantes são um conjunto de vitaminas e minerais na forma sintética para complementar ou fornecer nutrientes para o período gestacional, garantindo o aporte necessário para o período”, informa a nutricionista Cristiane Machado Godoy.

Publicidade

Com base em resultados de estudos realizados com a finalidade de investigar o consumo dietético das futuras mamães, toda gestante deveria fazer a suplementação. “As pesquisas mostram o consumo inadequado de nutrientes em relação às necessidades das grávidas. Na alimentação delas faltam vitaminas B1, B9 (ácido fólico), D, E e minerais como cálcio, ferro, magnésio e zinco”, declara.

Comitês técnicos da Organização Mundial da Saúde (OMS) continuam recomendando a suplementação de ferro na rotina da gestante com foco na segunda metade da gestação, período em que há um aumento na necessidade, justificando que nem todo ferro oferecido à mamãe necessariamente vai ser usado por ela, mas, sim, para o desenvolvimento da placenta, cordão umbilical e feto.

De acordo com Cristiane, a deficiência de nutrientes pode acarretar anomalias para bebês como recém-nascidos de baixo peso e prematuridade. Para as mamães pode causar anemia, dificuldade de cicatrização e baixa qualidade da amamentação. Um ponto importante é que alguns nutrientes, como o cálcio, podem não ser totalmente absorvidos; outros podem ser eliminados no momento do preparo, como as vitaminas fotossensíveis (vitamina C); e alguns se perdem durante o processo de cozimento, como é o caso do ácido fólico, importantíssimo na prevenção de defeitos no tubo neural.

A alimentação é muito importante para a gestante. Além de prazerosa, é fonte de vitaminas, minerais, fibras e também fornece energia e aminoácidos vindos das proteínas, imprescindíveis para a formação de toda estrutura que compreende a gravidez. “A suplementação entra como um complemento, caso, em algum momento, o nutriente não esteja suficientemente presente na dieta, mesmo porque nem todas as mamães apreciam vegetais, frutas, peixes e carnes vermelhas ou consomem uma variedade desses alimentos”, acrescenta.

No entanto, é importante dizer que nenhuma gestante deve se automedicar. Todo suplemento deve ser prescrito por médico ou nutricionista. “O correto é fazer uma avaliação da dieta materna e prescrever as necessidades reais da futura mamãe, pois tanto a deficiência quanto o excesso são prejudiciais: a vitamina A em excesso, por exemplo, é teratogênica, ou seja, pode causar má-formação no feto”, ressalta. Ter e manter bons hábitos alimentares são a garantia da saúde da mamãe e do bebê!