Saúde bucal da criança e adolescente
Como ajudar meu filho a cuidar dos dentes, proteger a gengiva e reduzir o risco de cáries? A resposta é simples. Seja um exemplo e ensine seus filhos, desde pequenos, a importância da higienização bucal. Isso trará benefícios para toda a vida dele. Para esclarecer as dúvidas mais comuns de muitos pais sobre a saúde bucal da criança e do adolescente, o Manual da Mamãe traz três especialistas na área, a odontopediatra Dra. Daniela Romano, o ortodontista Dr. Victor Hugo Cavalcante e a periodontista Dra. Andreia Coelho. Confira a entrevista:

Publicidade

Como os pais podem auxiliar os filhos na escovação dos dentes?

Dra. Daniela - A recomendação é que os pais realizem a escovação da criança até que ela mesma tenha condições neuromotoras de realizar a higienização sem ajuda. Isso acontece geralmente por volta dos 6 anos. Nessa fase, os pais devem supervisionar a escovação da criança até que ela esteja apta a fazer sozinha. E para incentivar a criança a ter hábitos de higiene bucodentária, os pais devem escovar seus próprios dentes na presença dos filhos, despertando, assim, a curiosidade da criança.

Quando iniciar o uso do fio dental?

Dra. Daniela - O uso do fio dental deve ser introduzido assim que romperem os primeiros dentinhos. Seu uso é muito importante, pois nenhum método de escovação possibilita a limpeza da região interdentária, entre um dente e outro, local de acúmulo de placa bacteriana. O fio dental deve ser usado diariamente e com cuidado adequado, evitando machucar o tecido gengival. Além de prevenir a cárie, a criança já cria o bom hábito diário de higienização.

Quando começar a usar pasta dental com flúor na escovação?

Dra. Daniela - O uso da pasta dental fluoretada deve ser realizado com muita cautela, de acordo com a indicação profissional, dependendo do risco e de atividade de cárie apresentada pela criança. A mãe deve ensinar a criança a cuspir a pasta dental desde cedo, para que ela não engula.

Quando o dente de leite está mole, o pai deve deixá-lo cair sozinho ou levar o filho ao odontopediatra?

Dra. Daniela - A retirada do dente de leite deve ser o mais natural e menos traumática possível. Os pais devem esperar até que o dente esteja realmente muito mole para retirá-lo com uma gaze, fralda ou fio dental. Se houver dificuldade para retirada, é melhor que leve ao odontopediatra. Esse momento de troca da dentição decídua pela permanente deve ser acompanhado pelo odontopediatra.

A partir de qual idade a criança pode usar aparelho ortodôntico?

Dr. Victor Hugo - A Associação Americana de Ortodontia (AAO) recomenda que a primeira avaliação ortodôntica seja realizada imediatamente após a troca do primeiro ‘dente de leite’, por volta dos 6 anos de idade. Após este acontecimento, é recomendável que a criança faça um acompanhamento para intervir e tratar o problema no momento ideal. A partir dos 7 anos, dependendo da complexidade do problema, a criança poderá colocar o aparelho dentário. Nessa fase, é comum observamos problemas como respiração bucal, hábito de chupar dedo ou chupeta e interposição lingual (falar projetando a língua para fora ou interpor a língua no meio dos dentes durante a deglutição).

A colocação do aparelho e seu uso são doloridos?

Dr. Victor Hugo - A colocação do aparelho é simples e rápida. Os braquetes são colados de forma direta no dente, sem dor alguma ao paciente. Já em relação ao uso, é importante que saibam que o aparelho dentário desloca os dentes de uma posição para outra. Naturalmente, esse movimento pode gerar algum incômodo ou dor. Mas é prefeitamente seguro e controlado todo esse deslocamento dos dentes.

Quanto tempo dura o tratamento?

Dr. Victor Hugo - Um tratamento ortodôntico dura, em média, 24 meses. Entretanto, depende muito da colaboração do paciente.

Como deve ser a higienização bucal diária da criança ou adolescente que usa aparelho?

Dr. Victor Hugo - Os pacientes que usam aparelhos ortodônticos fixos devem ter atenção redobrada quanto à higiene, seguindo orientações do ortodontista. Já os aparelhos removíveis, além da higiene dos dentes, o paciente deve escovar o aparelho com creme dental diariamente, buscando-se evitar a retenção de placa no aparelho e o sabor desagradável. Existem no mercado escovas dentais próprias para a higiene do aparelho fixo, com cerdas para facilitar a limpeza dos braquetes.

A má escovação pode evoluir para doenças periodontais nas crianças e adolescentes?

Dra. Andreia - As doenças periodontais nas crianças e adolescentes normalmente são causadas pelo acúmulo da placa bacterianam proveniente de uma escovação deficiente. A gengivite (gengiva inchada, vermelha e sangrando) é a mais comum nessa fase. Na puberdade, as flutuações hormonais características desta fase modificam a resposta inflamatória à placa bacteriana, exarcebando-a. O não tratamento da gengivite pode levar a uma periodontite (gengiva e osso de suporte podem estar comprometidos), que é uma infecção mais séria, na qual a ausência de um tratamento evolui para perda dental.

Nesse caso, como se dá o tratamento?

Dra. Andreia – O tratamento das doenças periodontais consiste na remoção da placa bacteriana presente ao redor dos dentes e gengiva, fazendo com que esta volte a apresentar sinais de normalidade e saúde.

O tratamento periodontal também tem fins estéticos?

Dra. Andreia – Quando não há uma relação harmoniosa entre dente, gengiva e face, o sorriso pode ficar prejudicado. Em alguns casos, podemos usar cirurgias plásticas periodontais para melhorar essa relação. Em crianças e adolescentes pós- tratamento ortodôntico, é muito comum o uso de cirurgia de recontorno gengival para remoção de irregularidades e excessos gengivais.

Que dica a senhora dá para os pais em relação à saúde bucal dos filhos?

Dra. Andreia - A maior dificuldade nas crianças e adolescentes é a mudança de hábitos de higiene bucal. É importante ensiná-las e motivá-las a manterem hábitos de higiene mais saudáveis para toda a vida.