Trombose na gravidez e no pós-parto: sintomas e tratamento
A ocorrência do tromboembolismo venoso na gestação é um dos fatores que mais contribui para a morbidade e mortalidade no período gestacional e logo após o parto. É que durante a gestação, o risco de Trombose Venosa Profunda (TVP) aumenta de 4 a 10 vezes em comparação com as mulheres não gestantes da mesma idade, sem contar que nas três primeiras semanas após o parto, o risco é ainda maior, aumentando de 15 a 35 vezes.

Publicidade

Portanto, o angiologista e cirurgião vascular Dr. Wladimir Gonçalves alerta que as mamães devem ficar atentas ao histórico familiar de TVP, ao inchaço dos membros, principalmente quando incidir somente de um lado, a dor, ao aumento de temperatura da pele e à dificuldade para caminhar.

“Ao aparecimento de qualquer um desses sintomas, a gestante ou puérpera deve comunicar rapidamente seu médico para que seja submetida à realização de exames. Além do exame físico e a realização do Ecodopller Colorido das Veias Profundas (duplex scan), as mamães devem ser reavaliadas pelo angiologista”, orienta o Dr. Wladimir.

O especialista explica que, atualmente, o tratamento da TVP, na maioria dos casos, é domiciliar com uso de injeções de heparina de baixo peso molecular, linfocinéticos e uso de meia elástica. “Todas as mamães devem estar atentas à saúde das pernas. Previna a TVP, fazendo atividade física direcionada, mantendo o controle do peso por meio de uma alimentação equilibrada e faça uso de meia elástica. Esses são cuidados que só lhe trarão benefícios”, pontua.