Como amamentar: guia da amamentação saudável

Um momento de aconchego, contato físico, calor materno e muita saúde. Este é o ato de amamentar. Nem sempre fácil, a amamentação inaugura um forte vínculo entre mãe e filhos; envolve alimentação e acolhimento, cuidados e troca. Portanto, se puder ser vivenciada de forma prazerosa e tranquila, será uma experiência das mais significativas para mamãe e bebê.

Publicidade

A ginecologista e obstetra dra. Bárbara Murayama, mãe do Pedro, conta que, mesmo com todo o conhecimento que tem na teoria como médica e na prática com as pacientes, enfrentou dificuldades no início. Para você que está ansiosa e não sabe se vai cumprir bem esse papel, a Dra. Bárbara traz ótimas dicas para um guia da amamentação saudável.

 

 O início da amamentação

A amamentação deve começar ainda nas primeiras horas após parto, se possível. Nos primeiros dias após o parto, a mulher produz uma quantidade pequena de um leite amarelado, chamado colostro, o qual é rico em nutrientes e fornece todas as calorias que um bebê precisa para os primeiros dias. Muitas mulheres temem que seu bebê não esteja recebendo leite suficiente logo após o parto, quando apenas pequenas quantidades de colostro são produzidas normalmente. Isso é normal. Com a amamentação frequente continuando, uma maior quantidade de leite maduro será produzida dentro de dois ou três dias, a chamada “descida do leite”.

 

Posição para amamentar

Não há uma “melhor” posição, a mulher deve ficar confortável, de maneira que permita que o bebê realize a pega adequada, sugando facilmente. Isso só a prática e a intimidade entre mãe e filho definirão e pode levar dias a semanas para a adaptação ideal. Mas é importante buscar ajuda profissional para conseguir encontrar a posição correta para você, pois um posicionamento desconfortável pode prejudicar a pega e machucar os mamilos. Confira algumas dicas:

  • O corpo e a cabeça do bebê devem estar alinhados para que a criança não precise virar a cabeça para pegar a mama;
  • O corpo do bebê deve ficar encostado no da mãe (barriga com barriga);
  • O queixinho deve tocar o peito;
  • A criança é apoiada pelo braço da mãe, que envolve a cabeça, o pescoço e a parte superior do seu tronco. Nos bebês pequenos, a mãe deve envolver também o bumbum com a mão;

 

BOA PEGA

A boa pega é importante para que o bebê consiga sugar adequadamente. A criança deve abocanhar não só o mamilo e, sim, toda ou a maior parte da aréola (ou seja, a parte mais escura da mama). Essa pega correta proporciona a formação de um grande e longo bico, que permite a sucção adequada. Quando a pega não está correta, o bebê não consegue mamar direito, podendo ficar irritado, além de machucar o bico, causando rachaduras.

 

SEM IMPREVISTOS

Um dos principais motivos do desmame precoce é a dor para amamentar, que pode ser causada por rachaduras, ingurgitamento das mamas (mama empedrada) e até situações mais graves, como mastites. Seguem, então, algumas orientações para o sucesso no aleitamento materno:

  • Mantenha o aleitamento exclusivo sob livre demanda: inicie a amamentação na primeira hora após o nascimento;
  • Busque ajuda de profissionais da saúde ainda na maternidade e em casa, se necessário, para conseguir a boa pega e posição mais confortável do bebê;
  • Procure seu obstetra sempre que necessário para esclarecer suas dúvidas e a qualquer sinal de dor, assim o médico poderá orientá-la precocemente;
  • Exponha os mamilos ao ar e ao sol por 10 a 15 minutos ao dia, se possível, e sempre antes das 10h ou depois das 16h;
  • Aplique compressa fria (nunca gelada) no intervalo das mamadas quando as mamas estiverem muito cheias e quentes;
  • Evite lavar os mamilos várias vezes ao dia porque a lavagem excessiva com sabões resseca a pele mamilar. Espalhar o próprio leite ordenhado para hidratar e lubrificar a aréola é o ideal;
  • Evite o uso de protetores mamilares que, além de confundir a pega, podem diminuir a ventilação nas mamas;
  • Só use cremes e pomadas nos mamilos sob prescrição médica;
  • Para tirar o bebê do peito, sempre introduzir o seu dedo dentro da boca dele para que passe a sugar seu dedo, largando o bico;
  • Inicie a mamada pelo peito sadio ou menos dolorido. Caso não estejam doloridos, comece pela mama que terminou na mamada anterior;
  • Amamente em diferentes posições até descobrir qual é a melhor para você e seu bebê.

 

 

 

Para mais conteúdo, siga o Manual da Mamãe no Instagram @manualdamamae 

Acesse também nossa página no Youtube: youtube.com/manualdamamae 

Você pode contar também com o curso Estou Grávida, e Agora? São videoaulas para acabar com todas as inseguranças da gestação e dos primeiros cuidados com o bebê. Saiba mais em: www.manualdamamaeip.com

Publicidade