Chega a 21 o número de mortos no “Massacre no Texas”

 Um jovem de 18 anos matou 19 crianças e duas professoras em uma escola primária no Texas, Estados Unidos. O ataque ocorreu na terça-feira (24), por volta das 11h30. Os alunos vitimados eram crianças com idade entre 7 e 10 anos aproximadamente.

Publicidade

O atirador, identificado como Salvador Ramos, teria atirado na avó antes de ir à escola para abrir fogo contra os alunos. Ele estava armado com um revólver, um rifle AR-15 e carregadores de alta capacidade. 

A prima de do atirador, Mia, contou ao jornal The Washington Post ter presenciado Salvador sendo alvo de piadas por conta de uma gagueira, enquanto ambos cursavam o ensino fundamental.

Salvador Ramos baleou dois policiais e foi morto logo depois pelas forças de segurança enviadas ao local.

 

Movimento “Mães que Rugem” nas Escolas

Você já imaginou quanta dor essas famílias estão enfrentando nesse momento?

  • São crianças que perderam a vida de forma trágica e brutal
  • Pais que perderam seus filhos
  • Filhos que perderam suas mães (no caso das professoras)
  • Crianças traumatizadas por tamanha violência
  • Família do atirador destruída

Os tempos são difíceis e estão exigindo pais e mães posicionados. Imaginem quantas mães e pais precisam de um apoio espiritual pois não sabem como agir diante de tantos problemas com os filhos. Muitos pais estão desistindo dos filhos e isso não pode acontecer.

Por isso, a coach de pais e mentora de mães criou o movimento “Mães que Rugem nas Escolas”.

“Precisamos de pais e mães preparados para intercederem pelos filhos. Peço a cada uma de vocês que tome a decisão de criar um grupo no WhatsApp de oração nas escolas. Convide todas as mães da escola do seu filho para participarem e peça a elas que continuem repassando o convite”, explica.

Toda semana, a Flávia enviará material para mães no grupo de WhatsApp Mães que Rugem como orações, ensinamentos, informações e dicas para ajudá-las.

“Ingressem nesse movimento para que nossos filhos tenham um ambiente escolar saudável, livre de opressão e ataques de colegas. Assim podemos salvar várias crianças e adolescentes do bullying, suicídio e automutilação”.

Publicidade